Cidade de Santa Brígida celebra “Beato Pedro Batista” com caminhada penitencial , dia 11

Cidade de Santa Brígida celebra “Beato Pedro Batista” com caminhada penitencial , dia 11

Fonte ibahia.com/

A cidade de Santa Brigida (BA) vai vivenciar no dia 11 de novembro um dos seus cultos mais religiosos, sendo um dos maiores da região, com 21ª Caminhada Penitencial em Memória ao Beato Pedro Batista.

Centenas de devotos seguem o cortejo com a participação de grupos de folclore e teatro, além de grupos jovens. Muitos turistas também são esperados. A cidade recebe uma preparação para este histórico evento, tendo a economia aquecida.

Programação:

11/11 - Povoado Km 42.
1ª - Parada: Km 40;
2ª - Parada: Casa de Dona Lourdinha;
3ª - Parada: Casa de Dona Lia ( almoço );
4ª - Parada: Assentamento Aroeira; visita ao túmulo do beato no Cemitério de São Pedro e bênção final

O evento tem a realização da Paróquia de Santa Brígida da Suécia com o apoio Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

Histórico:

Quem passar pelas terras que ficam a 450 km ao norte de Salvador, conhecerá a história do beato, tido como santo por muitos, de nome Pedro Batista. O município de Santa Brígida, que vive da agricultura de subsistência, foi adotado pelo "santo", como casa, que já perigrinava pelos estados de Alagoas, Sergipe e Pernambuco e era conhecido pela sua sabedoria, conselhos, curas e por libertar as pessoas dos maus espíritos.

Os romeiros vinham em centenas para Santa Brígida ver o beato. Sua chegada na cidade data do dia 14 de junho de 1945 e logo correu pelo Sertão, que o beato Pedro Batista estava ali, o que transformou a vida do lugar. Os romeiros vinham com dinheiro para alugar ou comprar propriedades para se instalar próximo a Pedro Batista. Dona Madrinha Dodô foi uma das romeiras que se deslocou das terras de Agua Branca, em Alagoas, para acompanhar o beato, fazendo trabalhos comunitários e peregrinando por diversas cidades do Nordeste. Aos poucos ela foi conquistando o respeito e admiração de todos, sendo comparada a Irmã Dulce.

Os devotos de Pedro Batista, celebram o beato morto com a festa de São Gonçalo. Ele morreu aos oitenta anos, em 11 de novembro, em 1967. Madrinha Dodô, nasceu em 1902 e recebeu o nome de Maria das Dores, desde cedo, aos 12 anos, começou a seguir Pedro. Ela morreu aos 92 anos, em Juzeiro do Norte e seputalda em Santa Brígida.

 

Por AC Zuca

Anteriores

1 até 10 de 264   Próximo »   Último »